Ir para o conteúdo

Transcon e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Transcon
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Twitter
Rede Social Youtube
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUN
26
26 JUN 2022
EDUCAÇÃO
PARCERIAS
TRANSPORTE E TRÂNSITO
TransCon participa de operação de Blitz no mês de aniversário da Lei Seca
Foto Noticia Principal Grande
Fotos: Caio César Oliveira
enviar para um amigo
receba notícias

As atividades no combate às imprudências no trânsito contaram com o envolvimento de diversas entidades e Contagem foi a primeira da região metropolitana a receber os trabalhos.
 

A prefeitura de Contagem, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (TransCon), participou de uma operação de blitz da campanha “Sou Pela Vida. Dirijo sem Bebida”, na avenida Babita Camargos, próximo à praça da Cemig, na noite de sexta-feira (24/6).

As ações fazem parte da parceria em conjunto com o governo estadual e os municípios para relembrar as pessoas sobre a importância de não dirigir sob o efeito de álcool. Contagem foi a primeira da região metropolitana a receber os trabalhos de conscientização e fiscalização que estão previstos para acontecer em outras cidades e no interior do Estado. O diretor do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), Edson Alves Peixoto, explicou sobre o funcionamento e a ideia do projeto que acontece na capital. “Essa é uma ação constante no calendário da segurança pública e que busca a interiorização dessas operações para as cidades que cercam Belo Horizonte até outras mais distantes”.

A operação integrada contou com a participação dos agentes de trânsito da Autarquia, Secretária de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), do Batalhão de Polícia de Trânsito da Polícia Militar (BPTran), da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), Departamento Penitenciário de Minas Gerais (DEPEN) e da Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (SUASE).

Durante as abordagens dos profissionais, foram analisadas as condições dos veículos, sua documentação e a documentação dos condutores, além de posse e porte de drogas e armas de fogo e possíveis mandados de prisão em aberto.

As Instituições participaram de forma ativa e a união das equipes foi um diferencial, pois a organização na estrutura de cada uma delas com diversos equipamentos e tecnologia, contribuiu de forma eficiente para o desenvolvimento da operação no trânsito. O agente e gerente de operações de trânsito da TransCon, Geazi Azevedo, comentou sobre o envolvimento dos profissionais e a importância das ações da blitz. “É fundamental e importante a participação de todos os envolvidos nessa operação que é muito grande e bem organizada. Essa é uma questão muito séria, porque não são poucos os casos de óbitos e de acidentes graves. Infelizmente, muitas vezes, a gente participa de ocorrências envolvendo acidentes ocasionados por consumo de bebida, o que potencializa muito os riscos. Então, isso é inaceitável”.

No momento da operação foram realizadas diversas abordagens e, em alguns casos, os motoristas foram autuados e tiveram os veículos retidos em função de alguma infração cometida. Apesar dessas situações, boa parte dos condutores elogiaram a iniciativa e as ações que foram realizadas. Esse é o caso da motorista e comerciante, Marinice de Oliveira Lote que, no momento da operação, não estava com a habilitação física em mãos, mas conseguiu realizar a consulta online e fez o teste do etilômetro, que não constou nenhuma concentração de álcool em seu organismo e foi liberada. "A ação foi muito importante em todos os aspectos. É necessária a realização das blitzes para verem se as pessoas estão corretas, se não há outras intenções ou situações que colocam em risco a nossa segurança. Quem não deve, não teme”.

Dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), mostram que em 2021, no estado de Minas Gerais, 14.953 pessoas foram detidas por consumir bebidas alcoólicas e dirigir, uma média de 40 por dia. Em 2020, foram 11.989 flagrantes e, em 2019, 9.403. Um aumento bem significativo comparado aos anos anteriores.

Aniversário Lei Seca

Em vigor no Brasil desde o dia 19 de junho de 2008, a Lei Seca completa 14 anos e foi aprovada com o objetivo de diminuir o número de acidentes de trânsito causados por condutores alcoolizados.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no artigo 257, tanto o condutor, quanto o proprietário do veículo podem ser penalizados por violações ao CTB. O que determina a responsabilidade é o tipo de infração cometida. As penalidades podem variar de acordo com cada situação.

O motorista que for flagrado em condições de embriaguez pode receber uma multa no valor de R$2.934,70 e a quantia é duplicada em caso de reincidência. Além disso, o condutor pode perder o direito de dirigir por 12 meses e, dependendo da infração, responder de forma judicial e criminal.

Para evitar esse tipo de ocorrência, o delegado da 4º Delegacia de Contagem, Guilherme Saback, salientou que é necessário que os motoristas tenham conhecimento e o entendimento das leis em relação às autuações. “Quando a pessoa que está conduzindo o veículo é ‘pega’ e autuada na blitz, a infração vai para o prontuário do condutor. Todavia, se este condutor for inabilitado, aquele que entregou o veículo para a pessoa inabilitada ele também recebe autuação, e sem prejuízo de responder criminalmente, em razão do artigo 309 do Código de Trânsito que: ‘entregar veículo automotor a uma pessoa não habilitada poderá ser considerado crime, se essa pessoa vier a causar algum risco de dano’”.

O delegado Saback ainda alertou para que os motoristas e demais usuários das vias tenham atitudes conscientes que possam diminuir as imprudências e penalidades cometidas no trânsito, evitando, assim, acidentes e mortes ocasionadas pela combinação de álcool e direção. “As Blitzes são realizadas primeiramente com interesse educativo. A presença policial é justamente para demonstrar  e desestimular o uso de álcool e também de toda e qualquer conduta que não deve ser praticada no trânsito. Mas, infelizmente, se a pessoa insistir em praticá-la, se avance, portanto, à medidas administrativas e até criminais. Então, com a tolerância zero, a indicação é que realmente se entenda a nova legislação e não se cometa o crime de trânsito”.

Autor: Repórteres Wilker Cruz e Douglas Araújo
Seta
Versão do Sistema: 3.2.6 - 05/09/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia